in

3 dicas para melhorar dores nas articulações




Anúncios:

Uma das maiores habilidades que temos é a capacidade de nos locomovermos e movimentarmos nossos corpos de diferentes formas e em diversas direções. Tudo isso é possível, em grande parte, graças às articulações.

Contudo, à medida que vamos envelhecendo ou em decorrência de problemas degenerativos ósseos mais graves, podemos começar a sentir dores nas articulações. Esse quadro se caracteriza por inflamações ou algum outro tipo de dano no sistema articular.

Assim, a cada movimento, é exercida uma espécie de pressão, que começa com um pequeno incômodo e desconforto no dia a dia. Se esse sintoma não for tratado, pode evoluir para dores mais intensas e levar à incapacidade de fazer movimentos simples.

Pensando nisso, para ajudar a melhorar sua qualidade de vida, falaremos sobre as dores nas articulações, as formas de preveni-las, como melhorá-las e qual é o tratamento recomendado. Continue a leitura e confira!

O que são as articulações?
As articulações, também chamadas de juntas, são estruturas funcionais que fazem o ligamento entre os ossos. Elas são compostas principalmente por cartilagem, membrana sinovial, tendões e ligamentos.

Graças a essas estruturas, nós conseguimos nos mexer, pois elas fornecem a estrutura física para o corpo e possibilitam a execução de uma variedade de movimentos. Além disso, ajudam a diminuir o atrito que pode vir a ocorrer entre os ossos durante a realização de atividades que causam grandes impactos.

Podemos fazer uma analogia simples e comparar as articulações com dobradiças de uma porta: se elas estão lubrificadas, funcionam perfeitamente bem. Contudo, quando começam a sofrer algum tipo de dano ou, então, conforme o passar do tempo, vão ficando enferrujadas e perdendo a amplitude de movimentos.

Como consequência, elas se tornam mais resistentes e duras. Veremos, mais para frente, que essa lubrificação é mantida por meio de exercícios físicos e alongamentos.

Infelizmente, muitas pessoas sofrem de dores nas articulações, desde as mais leves até as crônicas, que impossibilitam totalmente o movimento. O fato é que, quanto mais velhos ficamos, maiores são as chances de virmos a sofrer com esse quadro.

Quais são as principais causas das dores nas articulações?
As dores nas articulações podem ser derivadas de uma série de motivos, como doenças ou até lesões. Entre as doenças que podem gerar esse desconforto, está a artrite reumatoide, que causa rigidez, dor, desconforto e inflamação.

Já a osteoartrite diz respeito ao crescimento do chamado “bico de papagaio” e à degeneração da cartilagem das articulações. Muitas vezes, a dor pode vir inclusive de uma lesão provocada por algum tipo de exercício que exigiu muito da articulação e não foi efetuado da maneira correta.

Outras doenças também podem estar por trás da dor nas articulações, como:

viroses;
gota;
caxumba;
febre reumática;
tendinite;
catapora.
Como se caracteriza o quadro?
As dores nas juntas têm diferentes intensidades, podendo ser leves, moderadas, fortes ou até agudas. A duração é variada, indo de uma semana apenas até vários meses (principalmente se não forem medicadas e tratadas).

É fácil reconhecer a dor nas articulações: um de seus sintomas é que mais de uma articulação é atingida e pode vir acompanhada da dificuldade de realizar movimentos musculares. Os quadros mais graves envolvem dor difusa, inflamações, sensação de queimação, dureza e rigidez. Eles são agravados com o movimento.

As dores nas articulações dos cotovelos, joelhos e dedos das mãos costumam ser as mais comuns. Como esses ligamentos estão sempre sofrendo uma alta carga de tensão, são os mais afetados pela pressão causada pelos movimentos.

Qual é o tratamento recomendado?
Independentemente da intensidade da dor, esse problema afeta e pode prejudicar nossa qualidade de vida ou saúde. Por isso, deve ser tratado com uma série de medidas, que inclui tomar medicamentos ou optar pela medicina alternativa e pelos remédios naturais.

Além disso, os exercícios físicos e alongamentos simples são ótimas alternativas, pois ajudam a fortalecer as articulações e melhorar a condição dessas estruturas. Abaixo, detalhamos sete formas de tratar o problema.

1. Consulte um especialista
A dor nas articulações pode começar com um leve desconforto e ir se desenvolvendo até chegar a uma intensidade maior. Além disso, ela pode ser sintoma de diversas doenças. Portanto, é muito importante se consultar com um médico, para que ele identifique e avalie o quadro clínico do paciente.

Dessa maneira, o primeiro passo — e o mais importante — para tratar as dores nas articulações é consultar um médico especialista (reumatologista). Ele vai detectar a causa do desgaste no seu corpo e receitar o medicamento mais adequado para seus sintomas, sejam eles dores, desconfortos e/ou inflamações.

2. Use os medicamentos prescritos pelo médico
O tratamento para essa doença vai variar de acordo com o quadro do paciente e o diagnóstico dado pelo médico. Por isso, somente um especialista conseguirá identificar seu problema e prescrever o remédio mais adequado para seu caso, indicando a dosagem correta e o período de duração do tratamento.

Existe uma grande variedade de medicamentos para aliviar e tratar as dores nas articulações. Os mais comuns são:

AAS;
Advil;
Anador;
Atroveran;
Ciprofloxacino;
Dipirona;
Dorflex;
Mioflex;
Nimesulida;
Miosan;
Paracetamol;
Tylenol.
É importante mencionar que as dores podem ser causadas por inúmeros problemas. Por isso, não se automedique. Antes de tudo, procure a ajuda de um médico e siga as instruções contidas na bula. Caso contrário, o remédio pode até gerar efeitos contrários ao desejado e causar contratempos.

3. Cuide de sua alimentação
Para evitar o consumo excessivo de remédios, existem algumas medidas que podem ajudar a evitar as dores nas articulações. Elas se referem principalmente ao hábito de manter uma alimentação saudável e balanceada.

Existem alimentos que têm propriedades anti-inflamatórias e podem contribuir bastante no combate de dores crônicas e sintomas relacionados aos problemas com as cartilagens das articulações. Tais itens também ajudam a melhorar a imunidade do corpo.

Veja quais são os alimentos que ajudam a conter e a diminuir esses sintomas tão incômodos:

alimentos ricos em vitamina E — nozes, gengibre, sementes, vegetais e folhas verdes;
azeite de oliva extravirgem;
iogurtes e leites fermentados — por serem ricos em probióticos;
suco de limão e laranja — por conterem oxidantes conhecidos como bioflavonoides do citrino, que têm efeitos anti-inflamatórios;
salmão, sardinha, atum, linhaça e chia — são ricos em gordura ômega-3;
cúrcuma ou açafrão — trata-se de um poderoso antioxidante.
Mas atenção: assim como existem alimentos que ajudam no tratamento das dores nas articulações, também há aqueles que devem ser evitados para que os sintomas não piorem. Se você sofre desse mal, portanto, evite consumir:

açúcar e alimentos lácteos — contêm citoquinas, que são agentes inflamatórios;
café — a cafeína desencadeia processos inflamatórios pelo corpo. Opte pelo café descafeinado;
carne vermelha e processada — contém substâncias conhecidas como purinas e nitritos, que agravam as dores;
trigo e farinhas refinadas — têm um elevado índice glicêmico, o que piora as dores;
tomate, berinjela e pimenta — trazem solanina, que gera inflamação.
4. Busque minimizar as dores durante as crises
Durante as crises de dor, pode-se recorrer a alternativas que vão aliviar momentaneamente o desconforto. Compressas de gelo aplicadas localmente, compressas de água quente, banho quente (hidroterapia) e massagens locais, com o auxílio de óleos hidratantes, são alguns dos exemplos.

5. Procure por tratamentos fisioterápicos
A fisioterapia é uma ciência que desempenha um papel fundamental no tratamento das doenças relacionadas às articulações. Ela pode ser indicada todos os dias ou, pelo menos, durante três vezes por semana, conforme as queixas do paciente e seu quadro clínico.

O fisioterapeuta trabalha fortalecendo os ligamentos e tendões, aliviando, assim, as dores nas articulações. As técnicas e os tratamentos utilizados por esse profissional são diversos, incluindo:


Anúncios

crioterapia — uso de compressas de gelo ou de calor;
eletroterapia — aplicação de aparelhos como ultrasons, magnetoterapia, iontoforese etc.;
terapia manual — alívio da dor com massagens e mobilizações;
cinesioterapia — fortalecimento muscular por meio de hidroterapia e exercícios de resistência feitos com pesos pequenos.
6. Busque a medicina alternativa
Existem algumas alternativas naturais, como as ervas medicinais, que ajudam a aliviar os sintomas de dores nas articulações. Assim, antes de recorrer a um profissional, é possível testar as seguintes opções:

planta harpagófito — se o paciente sentir uma pequena queimação na articulação;
chá de ervas com sálvia, alecrim e cavalinha — têm propriedades que reduzem infecções e inflamações;
melancia — suas substâncias retiram o ácido úrico do corpo;
raiz de bardana — seus ácidos graxos essenciais têm propriedades anti-inflamatórias;
açafrão-da-terra e gengibre — agentes anti-inflamatórios, que atuam reduzindo a inflamação.
7. Mude seus hábitos
As pessoas que ficam sentadas durante muito tempo têm mais chances de sofrerem com dores nas articulações do corpo. Por isso, é fundamental não ficar o dia todo sentado. Faça alongamentos e levante-se com frequência. Sua coluna vai agradecer.

Se o paciente fuma, deve parar com o tabagismo de uma vez por todas. A fumaça do cigarro ajuda a diminuir a consistência da massa óssea e, consequentemente, enfraquece as articulações. Além disso, ele contém substâncias que desencadeiam processos inflamatórios pelo corpo. Portanto, o cigarro precisa ser largado logo!

Como prevenir as dores nas articulações?
Existem alguns cuidados diários que ajudam a reduzir o desconforto e as dores. Acompanhe, abaixo, quais são eles.

Controle seu peso
O excesso de peso aumenta a pressão sobre as articulações. Como o sobrepeso está diretamente ligado a hábitos alimentares deficientes e à falta de exercícios físicos, os músculos costumam ser pouco fortalecidos e tonificados. Isso acaba sobrecarregando todo o sistema de ligamentos e tendões, aumentando ainda mais a pressão.

Tenha cuidado com sua postura
Manter uma postura adequada ajuda a evitar o surgimento de problemas nas articulações, como dores e lesões. Procure sempre se sentar com as costas rentes e alinhadas à cadeira, apoie os braços no encosto e mantenha a planta dos pés apoiada no chão.

Se for praticar atividades físicas, tenha atenção para não executar os movimentos de forma incorreta e sobrecarregar essas partes do corpo. Tome cuidado com sua postura mesmo em situações corriqueiras, como caminhar, preparar a comida, dirigir etc.

Faça exercícios constantes com as pernas e os braços
A prática de exercícios físicos é fundamental para manter as articulações saudáveis e o equilíbrio do corpo, aumentando a mobilidade. Eles fortalecem os músculos e, assim, diminuem a sobrecarga e a tensão nas articulações. Além disso, ajudam a evitar o excesso de peso, que, como já vimos, é um fator prejudicial.

Há atividades que oferecem baixo impacto, como bicicleta, natação, hidroginástica ou caminhada. Os exercícios funcionais, como Pilates e RPG, também são bastante úteis, pois alongam os músculos e estimulam a mobilização das articulações que, porventura, estejam enrijecidas. Logo, as juntas ficam mais flexíveis e os movimentos são preservados.

Quais são as doenças que mais afetam as articulações?
A dor nas articulações pode ser causada por uma série de lesões e doenças. A origem do problema varia conforme a intensidade do desconforto e a localização da dor, mas existem algumas doenças que são mais comuns de serem diagnosticadas.

Artrite reumatoide
A artrite reumatoide é uma doença crônica, ou seja, não há cura. Porém, os sintomas podem ser controlados por meio de tratamento e medicação indicados pelo médico.

Ela também é autoimune, o que significa que o próprio organismo age contra si mesmo por meio do sistema imunológico. O problema costuma se manifestar com maior intensidade nas articulações dos dedos das mãos e nos punhos, cotovelos, ombros, joelhos ou pés.

Os sintomas são: inflamação, dores e rigidez nas articulações, gerando uma incapacidade para as atividades do cotidiano. Eles começam a se manifestar entre os 35 e 55 anos, mas é possível que apareçam em crianças e adolescentes, com a chamada artrite crônica juvenil.

As causas e a origem da artrite reumatoide ainda não são totalmente conhecidas pelos pesquisadores. Contudo, sabe-se que fatores genéticos e hábitos de vida prejudiciais ajudam a aumentar as chances de desenvolvimento dessa condição.

O diagnóstico do quadro envolve exames físicos, laboratoriais e radiológicos, além de uma pesquisa sobre o estilo de vida e o passado do paciente.

Bursite
A bursite é uma doença causada pela inflamação da bursa (ou bolsa sinovial), uma estrutura cheia de líquido que fica nos tendões ou entre o tendão e o osso. A função dessas bolsas é absorver e amortecer o impacto causado pelos movimentos corporais, auxiliando no processo de deslizamento dos tecidos.

A bursite pode se manifestar de forma aguda ou crônica, sendo mais comum nas articulações que realizam movimentos repetitivos e posições que geram lesões nas bursas, como ombros, cotovelos, quadril, joelhos e calcanhares. Ela pode ser causada pela repetição dos seguintes atos:

apoiar-se nos cotovelos por longos períodos;
ficar ajoelhado por muito tempo;
permanecer sentado por muitas horas e com a coluna na posição errada.
Além do desgaste excessivo das articulações, esse problema pode aparecer devido à idade, por traumas ortopédicos, processos reumatológicos, diabetes, gota e outras doenças sistêmicas, por exemplo. Os sintomas da bursite são os seguintes:

dores e sensibilidade na articulação;
calor, vermelhidão e sensação de queimação no local;
rigidez e inchaço da bursa etc.
Seu diagnóstico é feito por meio de exame físico completo, ultrassom e ressonância magnética, além de uma análise para conhecer o histórico médico e o estilo de vida do paciente. Infelizmente, a radiografia não detecta a doença, mas pode eliminar outros possíveis problemas e, consequentemente, ajudar na descoberta da bursite.

Tendinite
A tendinite é uma inflamação dos tendões, estruturas responsáveis pelo ligamento dos músculos e do osso. Ela é causada pelo esforço excessivo ou por algum movimento inadequado ou impróprio, que força os tendões, por exemplo.

A doença pode aparecer em tendões de qualquer parte do corpo. Contudo, ela costuma ser mais comum nos ombros, nos cotovelos, nos punhos e no joelho.

O tratamento envolve o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios previamente prescritos pelo médico reumatologista. Além disso, são necessárias algumas temporadas de fisioterapia, conforme a gravidade e a situação do quadro.

É muito importante que o paciente não faça esforços físicos e não sobrecarregue a região. O ideal é ficar o máximo possível de repouso e imobilizar a articulação que está lesionada, pois tais cuidados aumentam as chances de cura. Os sintomas de tendinite são os seguintes:

dor localizada nos tendões;
dificuldade em fazer movimentos com o membro que está afetado;
inchaço ou vermelhidão na região;
dor em um local pontual, que vai se irradiando ao longo do membro lesionado;
fraqueza no braço afetado;
fisgadas ou câimbras no ombro.
Existem muitas outras doenças que têm como sintomas as dores nas articulações, a exemplo das que separamos abaixo:

gota;
hepatite A, B e C;
gripe;
doença de Lyme;
sarampo;
caxumba;
febre reumática;
rubéola;
varicela etc.
O médico é o profissional que dará o diagnóstico por meio de exames laboratoriais, radiografias, ressonâncias magnéticas, perguntas e análise do perfil do paciente. Atente aos sinais enviados pelo próprio corpo. Dores recorrentes e que vão ficando mais intensas com o passar do tempo, rigidez e fraqueza são apenas alguns dos sintomas que podem causar dores nas articulações.

Após uma avaliação médica, o paciente pode buscar pelos analgésicos adequados, seguindo as orientações do profissional para o uso. O importante é entender bem o que causa as dores nas articulações, a forma de tratamento e como aliviar os sintomas relacionados ao problema.


Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A surpreendente forma de acabar com a infecção urinária com chá de erva-ursina

Benefícios da Sucupira para Artrite e Artrose